Transporte: vou de carro, de táxi, de avião, de ônibus...?

Vai viajar de carro? Saiba como é o processo para alugar o veículo:

A maioria das locadoras de veículos exige um cartão de crédito no momento do aluguel, e um security deposit (depósito de segurança) em geral é cobrado quando você está alugando o carro, nesse mesmo cartão, que deve estar no nome do motorista. É interessante carregar pelo menos um cartão de crédito desbloqueado (avise seu gerente de que vai viajar, antes de sair do Brasil).

Menores de 25 anos tem restrições e podem ter que pagar mais. Seu marido ou esposa pode dirigir o veículo sem maiores restrições, mas se outra pessoa além do cônjuge for dirigir, avise na locadora no momento do aluguel, pois há restrições no seguro e pode ser necessário pagar alguma taxa a mais por isso.

Tenha sempre um seguro (pelo menos o básico) ao alugar um carro. As locadoras oferecem diversos tipos, se informe no momento do aluguel. Cobra-se geralmente um valor por dia, então não esqueça de adicionar esse custo no seu orçamento de viagem.

A carteira de motorista da Califórnia não é exigida para turistas, carregue sempre a sua carteira de motorista válida do Brasil e o passaporte, assim como os ducumentos do aluguel, quando estiver dirigindo.

Lembre-se de que devolver o veículo em uma cidade diferente da em que ele foi alugado pode ter um custo consideravelmente mais alto do que se você optar por retorná-lo no mesmo local, e alugueis para períodos longos (semana ou mês, ao invés de poucos dias) podem ter descontos atrativos.

Algumas locadoras de veículos localizadas próximas de aeroportos (Como a Fox, em Los Angeles) oferece um serviço de shuttle(transporte) gratuito entre o aeroporto e a locadora, que é bastante útil e reduz o seu gasto com táxi. Pode ser um pouco complicado encontrar o local exato onde o shuttle pega os passageiros dentro do aeroporto, então nossa dica é calcular um tempinho a mais para isso no seu cronograma. E na dúvida, vá perguntando (é o que fazemos!). Não esqueça também de conferir o horário de funcionamento da locadora. Você não vai querer encontrá-la fechada quando precisar buscar ou devolver o carro. Em geral as próximas dos aeroportos tem horário extendido ou ficam abertas 24h.

Convém fazer reservas se você quer garantir que vai haver um veículo disponível, em especial se você tem restrições. Minivans (para 7 ou 8 pessoas), por exemplo, são extremamente disputadas nos feriados de fim de ano. Nós passamos por um momento complicado e tivemos que buscar alternativas quando precisamos alugar uma minivan na região de Sacramento/São Francisco: absolutamente todas elas foram reservadas para o final de dezembro, mais de duas semanas antes das datas que precisávamos.

GPS

Tenha um GPS e saiba como usá-lo, se você quer dirigir pela Califórnia. É possivel se localizar por mapas e placas, mas o GPS torna a sua vida muito mais fácil. As locadoras de automóveis em geral alugam o GPS (alguns carros tem o sistema incluso). Outra opção é usar o celular (Google maps), caso você tenha optado por adquirir um plano com internet nos EUA.

Dicas de trânsito

Convém conhecer um pouco como funciona o trânsito na Califórnia antes de se aventurar, uma vez que as regras e o comportamento dos motoristas é ligeiramente diferente do que no Brasil. Abaixo estão listados alguns pontos que consideramos importantes.

Velocidade e radares: A velocidade nos EUA é medida em milhas/h e não km/h. Embora os carros mostrem ambas as velocidades no velocímetro, lembre-se, ao dirigir, que 30 milhas/h é bem mais do que 30 km/h! Embora não existam radares eletrônicos na Califórnia (nunca vimos nenhum), você ainda pode ser multado por policiais. Em condições ideais, a maioria das pessoas anda ligeiramente acima dos limites de velocidade nas rodovias. A dica por aqui é seguir o fluxo para evitar atrapalhar o trânsito.

Conversão à direita: na Califórnia é permitido virar à direita no sinal vermelho (a menos que exista uma placa ou sinalização dizendo o contrário). A forma correta de fazer isso é parar completamente o veículo, checar pela presença de outros veículos que tem a preferência, checar por pedestres e bicicletas e, somente após ter certeza de que o caminho está livre, fazer a conversão. E atenção! embora a conversão à direita seja permitida no sinal vermelho, o sinal verde não significa que é sua vez de avançar: antes de virar a direita, cheque pela presença de bicicletas e pedestres, eles tem a preferência e em geral o sinal para pedestres abre junto com o dos carros.

Stop means stop: Pare significa pare. Embora a lei seja idêntica no Brasil, nos EUA ela de fato é cumprida. Respeite ou você pode causar um acidente, pois outros carros e pedestres estão esperando que o seu carro pare completamente. Ao ver o sinal de stop, você deve parar o veículo (e não somente "dar uma reduzida"). A dica é pensar em quando você fez auto-escola, e contar até dois após parar o veículo para ter certeza de que você parou. E bicicletas devem parar também (apesar de nem todas fazerem isso): uma amiga minha já levou uma multa por passar direto em um sinal de pare, andando de bicicleta.

4-way stop: Algumas vias tem o sinal de stop (pare) para todas as quatro vias. Quando isso ocorrer, após parar completamente o seu veículo você deve checar pedestres e ciclistas e dar a preferência para quem parou o carro primeiro (por isso é importante parar completamente o seu veículo!). A preferência é sempre do pedestre em primeiro lugar, depois das bicicletas, e em seguida de quem chegou (parou o veículo) por primeiro.

Sinais piscando: Sinais piscando, ou desligados (após uma queda de energia, por exemplo) se tornam automaticamente equivalentes a uma placa de stop (4-way stop). Pare, observe, dê a preferencia a pedestres e bicicletas, e em seguida aos veículos que pararam antes de você. Esse sistema é realmente eficiente em caso de queda de energia. Significa que não importa quantas vias você precise cruzar, ou se a via que você precisa passar é uma avenida movimentada: em algum momento será a sua vez de passar, e os demais carros irão dar a vez.

Pedestres: pedestres tem a preferencia. E em algumas cidades, eles estão tão acostumados com isso que pode ser preciso redobrar a atenção: há alguns dias atrás nos deparamos com uma pedestre que parou no meio da faixa de pedestres e começou a sinalizar para a amiga. Ficamos alguns segundos com o carro parado esperando que elas decidissem em que direção ir.

Bike lane: Muitas cidades tem vias especiais para ciclistas, então ao dirigir seu veículo é importante prestar muita atenção, em especial antes de conversões à direita e ao estacionar. Em algumas cidades, como Davis, o número de ciclistas é tão alto (acho que os números atuais ultrapassam duas bicicletas por habitante) que é necessário muita cautela. Os americanos aprendem não só a usar os retrovisores, como também a olhar "over the shoulder" (por cima do ombro) antes de trocar de pista, estacionar ou fazer conversões.

Estacionamentos e trucks: A boa notícia é que, se a sua opção for alugar um carro compacto, possivelmente você não sentirá dificuldade em manobrar em estacionamentos. A preferência dos americanos por vans e trucks (caminhonetes) é óbvia nas ruas, e as vagas são projetadas para esses veículos (ou seja, maiores do que o usual no Brasil). Alguns estacionamentos indicam no chão as vagas menores (“compact”).

Americanos e o farol alto: depois de várias viagens realizadas a noite, em diversas estradas na Califórnia, notamos como os americanos gostam de usar o farol alto: o tempo todo! Nas rodovias de maior circulação, como a I-80 entre Sacramento e São Francisco, isso não ocorre. No entanto, escolha qualquer trecho menos frequentado de uma rodovia de pista simples para que 95% dos motoristas estejam dirigindo com os faróis altos acessos. E nem todos eles se lembram de apagá-los ao cruzar com outro veículo. Essa é uma das razões pelas quais eu não sou fã de dirigir a noite na Califórnia. Soma-se a isso o fato de que algumas estradas (em especial as turisticas) são bastante sinuosas e nem sempre há proteção entre o seu carro e o desfiladeiro ligeiramente próximo da pista. Não aconselhamos dirigir a noite nessas regiões se você puder evitar. Essa é uma dica principalmente relevante se você estiver viajando no inverno, em regiões com possibilidade de neve.

Qualidade das estradas e ruas: em geral as estradas e ruas são bem conservadas na Califórnia, mas nem sempre a sinalização noturna é das melhores.

Pedágios: o único pedágio que conhecemos está localizado na entrada de São Francisco. Um alívio para os bolsos de quem vai viajar de carro por aqui.

Algumas sinalizações de trânsito e seus significados:

Algumas sinalizações de trânsito são peculiares, e podem confundir o motorista brasileiro despreparado. Fizemos uma lista de algumas delas, e quais os seus significados. Confira abaixo:

PEDXING: ped, pedestrian, pedestre; xing, crossing, cruzamento. Significa que há cruzamento de pedestres naquele local.
alt

4-WAY STOP: Como já mencionamos anteriormente, é um sinal indicando que todas as vias tem o sinal de stop (pare).
alt

BIKE LANE: Indica que há uma bike lane (faixa para bicicletas) próxima.
alt

ANIMAIS NA PISTA: Diversas placas podem indicar a presença de animais. O exemplo (fofo) abaixo é um que provavelmente você não vai ver no Brasil: mamãe urso e seu filhote atravessando a rua. Ele indica que há a possibilidade de ursos cruzarem a estrada.
alt

CARPOOL: todas as vezes que você ver essa indicação, ou uma similar, preste atenção às intruções, pois elas podem variar. Carpool lanes (indicadas com o losango) são faixas exclusivas para veículos que preenchem determinadas condições (número mínimo de passageiros). Em geral há um horário no qual a faixa é liberada para todos, e isso vai estar indicado na placa.
alt

RESTRIÇÕES DE ESTACIONAMENTO: antes de estacionar, veja se há alguma restrição no local. Muitos estacionamentos são reservados para residentes, e somente é possível parar se você tiver o permit (autorização). Outros lugares contam com um parquímetro, em que você paga o número de horas que deseja ficar estacionado. Você sabe o que o exemplo abaixo indica?
alt

Alternativas de transporte:

Amtrak

Amtrak é a rede de trens da Califórnia, também presente no restante do país e no Canadá. No site da companhia é possível ver todas as 30 rotas de trem possíveis, e brincar com o mapa iterativo disponível. Na Califórnia, há 90 destinos possíveis, mas nem todos eles são alcançados de trem: a Amtrak conecta seus destinos com ônibus que interligam-nos às estações mais próximas.

Algumas rotas de longa distância contam com acomodações privadas em que é possível dormir (algumas tem até banheiros privativos). A maioria dos trens tem serviço de alimentação. Confira as opções de pacotes oferecidas: pode ser uma experiência única.

Abaixo estão listadas as rotas de trem que percorrem parte da Califórnia:
alt

Ônibus

Os ônibus que circulam nas cidades da Califórnia não são, em geral, dos melhores. Algumas cidades menores nem contam com ônibus municipais, ou só tem o sistema porque é administrado por outro órgão. Em Davis, por exemplo, a Unitrans administra os ônibus, que são mantidos (e dirigidos) pelos estudantes da faculdade. Merced tem um sistema parecido. Dentro dos ônibus a chance de encontrar pessoas "estranhas" é alta (só andando neles para entender).

Cable cars

Em São Francisco, essa forma de transporte é bastante popular entre os turistas. Os "bondinhos" tem um preço um pouco maior que as demais formas de transporte púbico da cidade (o que é esperado, já que são, de certa forma, uma atração turística). São uma boa forma de se deslocar pela cidade.

Streetcars

Outra forma de transporte público em São Francisco, mais barata do que os cable cars.

Metrôs e trens

Alguns lugares da Califórnia tem sistemas de metrôs e trens. Na região de São Francisco o sistema se chama BART.

Uber

O Uber, serviço alternativo ao táxi, começou na Califórnia e se espalhou pelo mundo, incluindo o Brasil. Nas maiores cidades da Califórnia, essa pode ser uma alternativa interessante, mas lembre-se de que muitos motoristas são imigrantes e tem um sotaque que pode não ser tão simples de compreender. Para usar, se cadastre e baixe o aplicativo no seu celular.

Lift

Lift é um concorrente do Uber, em geral mais barato, mas funciona de forma similar.

Voando pela Califórnia

Alguns de nossos amigos e familiares optaram por dirigir entre uma localidade e outra durante suas visitas pela Califórnia. Via de regra, essa é a nossa escolha pois a maioria dos roteiros que fazemos inclui uma distância máxima em torno de 230 milhas (aproximadamente 4 horas do ponto de partida).

No entanto, voar entre uma cidade e outra pode ser uma opção mais viável em alguns casos: quando as cidades que você deseja visitar ficam muito distantes uma da outra, não há pontos de interesse entre o destino e a partida, há um limite de tempo ou o custo do aluguel do carro é elevado (em especial quando é preciso retorná-lo em outra cidade).

Nossa sugestão de companhia aérea é a Southwest: sempre viajamos com ela, os preços são acessíveis, há constantes promoções e a vantagem de não haver custo extra ao despachar até duas malas por pessoa.

No aeroporto

Lembre-se de conferir as restrições de tamanho e peso para as suas malas antes de viajar, tanto para as malas despachadas como para a mala de mão. Voos domésticos e internacionais nos EUA tem as mesmas restrições, então nada de líquidos acima de 100 mL na bagagem de mão quando viajar por aqui. Evite garrafas de água também, ao passar no raio-X elas serão apreendidas. Na fila do raio-X, observe as instruções ao seu redor: em geral há vídeos explicativos do processo, das restrições de bagagem, e de como você deve se portar. Via de regra, há uma pessoa para conferir os dados de seu passaporte e das passagens antes do raio-X, tenha eles em mãos nesse momento. Em seguida, você é solicitado a retirar os sapatos, e colocá-los na bandeja para passar no raio-X. Computadores devem ser retirados da mala e colocados em uma bandeja separada do resto dos seus ítens pessoais.

Existem dois tipos de detectores de metais: o que estamos acostumados no Brasil e um no qual você entra em uma câmara, levanta os braços e aguarda alguns segundos enquanto é escaneado. Também pode acontecer de um dos seguranças solicitar que você aguarde após passar no detector de metais, e faça uma verificação das suas mãos. Sem desespero: eu já tive minhas mãos verificadas, esse tipo de verificação é frequente e aleatória. Aguarde até que ele diga que você está liberado antes de pegar a sua mala. Outra possibilidade é sua mala ser verificada pela presença de resíduos de explosivos. O teste é simples e dura em torno de um minuto. Também já tivemos uma mala verificada pela presença de explosivos, quando eu tive a (infeliz) ideia de colocar uma garrafa de água em cada mala de mão e todas as sete malas do nosso grupo foram desviadas, abertas e tiveram as garrafas apreendidas. Ao menos o segurança era simpático e me explicou o que era o teste que eles estavam fazendo. Nossas garrafas de água não foram verificadas, mas reparamos em um outro segurança abrindo e testando o líquido de uma garrafa de outra pessoa antes de descartá-la.

Mais informações sobre segurança de aeroportos podem ser encontradas no site do TSA, em inglês.